A Sutil Arte de Ligar o Foda-se

Livro A Sutil Arte de Ligar O Foda-se

Mark Manson é um autor direto, que dá sua opinião sem meandros. Confesso que durante parte da leitura não simpatizei com ele (vamos combinar, ele é um cara cheio de privilégios), mas não posso negar que as reflexões que ele me propôs foram valiosas. Começando pelo título do livro: ao sugerir que a gente ligue mais o foda-se para as coisas, o autor não quer dizer que a gente não deva ligar pra nada nem ninguém. O que ele quer dizer é que precisamos PRIORIZAR aquilo que verdadeiramente é importante, para que possamos deixar de lado o que não é. Desse modo, paramos de nos estressar com situações que fogem ao nosso controle, que são triviais, que não valem o nosso sono. Esse conceito já foi suficiente pra me fazer pensar e refletir sobre o modo como lido com diversas coisas na vida, então nesse ponto já estava considerando a leitura útil.

Mark Manson usa toda a sua sagacidade de escritor e seu olhar crítico para propor um novo caminho rumo a uma vida melhor, mais coerente com a realidade e consciente dos nossos limites. E ele faz isso da melhor maneira. Como um verdadeiro amigo, Mark se senta ao seu lado e diz, olhando nos seus olhos: você não é tão especial. Ele conta umas piadas aqui, dá uns exemplos inusitados ali, joga umas verdades na sua cara e pronto, você já se sente muito mais alerta e capaz de enfrentar esse mundo cão.

Posteriormente, o autor também discorre sobre como a busca constante pela felicidade é um erro. Em sua opinião, as pessoas fogem tanto das decepções e dores que não se permitem crescer; elas acreditam que seus problemas são únicos, que elas são especiais (no sucesso ou no fracasso) e que ninguém compreende as dificuldades que elas passam – quando, na verdade, a maioria de nós compartilha de problemas muito semelhantes (em maior ou menor grau) e ninguém é tão especial assim. Para Mark Manson, a partir do momento que aceitamos que a dor e a desilusão fazem parte do processo de crescimento, temos coragem para tomar atitudes, resolver problemas e, aí sim, encontrar a felicidade.

Para tal, Mark Manson propõe que repensemos nossos valores. Ele acredita que existam valores ruins e valores bons para guiar nossas escolhas. Os valores ruins estão, basicamente, ligados a terceiros: “sucesso pra mim é ser amado por todos”, por exemplo. É algo que não depende de você, mas de outras pessoas. Portanto, é um grande gerador de ansiedade. Quando você muda seus valores para algo que você possa realizar (como, por exemplo, “ser honesto(a) em meus relacionamentos”), é possível administrar muito melhor aquilo que você realmente deseja para si, inclusive mudar a sua visão sobre sucesso e fracasso.

Eu não concordei com todas as teorias de Mark Manson sobre a vida e nem sempre achei o autor a pessoa mais carismática do mundo. Contudo, não posso negar que A Sutil Arte de Ligar o F*da-se me fez pensar.

Quer comprar o livro ? Click aqui

Ao terminar a leitura, cheguei à conclusão de que ela me fez bem por abrir a minha mente e me mostrar como pode ser saudável ligar o botão do “foda-se” pro que não é importante.

Título original: The Subtle Art of Not Giving a F*ck
Autor: Mark Manson
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 224

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *